Só No Blog Mesmo

0

Eleições 2016

 

fernando-mineiro-carlos-eduardo-alves

Lula em Natal  

A presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ontem(2), em Natal para o lançamento da candidatura do deputado estadual Fernando Mineiro à prefeitura de Natal, não seria nada demais não fosse os fatos que assombram o partido, com vários membros envolvidos em malfeitos e muitos deles são réus da Operação Lava Jato, mas mostra que para todos efeitos o PT está vivo e aqui, no município pode incomodar e muito, o atual prefeito e candidato a reeleição, Carlos Eduardo.

Carlos não vai poder ou pelo menos não dever levar ao palanque assuntos como corrupção, Lava-Jato, evasão de divisas, pois seu aliado e companhia de chapa, o PMDB, tem o presidente estadual e um dos principais ícones do partido, o ex-ministro Henrique Eduardo Alves encalacrado e parte ativa destes temas. A campanha de ataques se anula neste aspecto, restando os dois candidatos proporem projetos plausíveis à cidade. Esperemos, pois!

Sucesso

Contrariando o tratamento que o poder público dedica aos artistas locais, principalmente os músicos, o pessoal insiste, persiste e acaba rompendo barreiras. Chegou agorinha, da Alemanha o casal Mazinho/Regina Casa Forte, músicos de primeira linha. Na mesma balada Geraldo Carvalho visita as terras dos patrícios. Geraldinho irá cantar e encantar em Portugal.

O talento não se dá por vencido ante o desdém dos que gerem a política cultural. Avante!

Prisão

A ex-prefeita de Natal Micarla de Sousa foi condenada a 16 anos, seis meses e 10 dias de prisão, em regime fechado, pelos crimes de associação criminosa e desvio de recursos públicos. Muitos políticos da taba, estão pondo as barbas de molho.

Impeachment

O governo interino de michel temer, pede ao presidente do Senado, Renan Calheiros que antecipe o julgamento do impeachment da Presidente Dilma Rousseff. Sobre a cassação de Eduardo Cunha, o silêncio de incomodar moco.

Insegurança

A onda de terror continua afligindo os potiguares. O “Governo da Segurança”, perdeu às rédeas e hoje, se esconde atrás das Forças Especiais. Quem não pode com o pote não pega na rudia, diz o velho provérbio. Robinson prometeu, em campanha ser o “Governo da Segurança”, não foi, não é e pouco será.

Muitos candidatos na ânsia de falarem em temas de forte apelo aos eleitores, fazem suas promessas sem antes perceberem as variáveis e, como sempre o povo acaba pagando caro.

Cristaleiras

As panelas e baixelas continuam, adormecidas em suas cristaleiras de Jacarandá.

Frase

“Eu não sei como uma cidade(Natal) como essa, mantém essa mesma oligarquia mandando na política”, Luiz Inácio Lula a Silva

0

Aposentadoria

senador-jose-agripino-maia

O senador José Agripino Maia, continuará acrescentando ao seu mísero salário de parlamentar, sua aposentadoria de R$ 21.900,00 de ex-governador. A Juíza Gisele Maria Araújo Leite, indeferiu ação do Ministério Público Federal do Rio Grande do Norte que questionava o recebimento da aposentadoria(pensão) como ex-governador.

Violência

Que Natal e várias outras cidades do interior do RN, passaram por maus bocados desde a última sexta-feira, todos sabem ou sofrem os efeitos. Também podemos perceber nas mídias sociais a avalanche de comentários e ataques à ineficiência do Governador Robinson Faria. Porém, é bom lembramos que nosso estado não é uma ilha e, é suscetível as intempéries acometidos por outros entes da Federação. A violência é uma delas.

O poder constituído, de certo modo, ajoelhou-se diante o poder paralelo das facções criminosas. Há exatos 10 anos, São Paulo, sofreu ataques violentos de uma entidade do crime. E o Rio de Janeiro, já vive em guerra declarada há muito tempo, outros, em mais ou menos escala, padecem desta chaga.

De quem é a culpa? De todos nós. Minha, sua, do vizinho. Por quê? Ora, somos nós que elegemos esses políticos que anos a fio não faz nada de concreto para sairmos do terceiro mundo da analfabetismo funcional, pois assim lhes somos mais úteis.

Então o Governador Robinson Farias não tem culpa? Pouca, mas tem. O governador não ouviu, não quis ouvir ou desdenhou os avisos dos juiz da Vara de Execuções Penais de Natal, Henrique Baltazar, que por diversas vezes alertou para futuras ondas de ataques, partindo de dentro dos presídios e que seriam de maiores proporções. Escalpá-lo não vai nos devolver a segurança almejada. Devemos cobrar e cobrar com veemência.

Porém, aos antecessores lhes cabem maior peso nos costados, sem falar dos poderes federal e municipal, que nunca tiveram a preocupação com os mais carentes e, portanto, mais em risco de entrar para o mundo do crime, pouco se fez ou quase nada no âmbito de políticas públicas de inclusão para proteger esta população. Hoje, sente-se o efeito de uma bomba-relógio, com efeito retardo – como disse o jornalista Givanildo Silva -, e, por azar caiu no colo de Robinson Farias.

Demagogia e medidas paliativas à parte, os poderes constituídos juntos com a população há de encontrar uma resolução definitiva e, rápida!

Devolução

A ex-governadora Rosalba Ciarlini está sendo acionada pelo Ministério Público Federal e Estadual por improbidade administrativa pela devolução de R$ 14,3 milhões ao governo federal. Os recursos, deveriam ter sido utilizados na construção de unidades e reforma em unidades prisionais, como não havia projetos voltou para o Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

Beiçudo

Os entendidos do borogodó dizem a boca de sapo, que o prefeito e candidato à reeleição, Carlos Eduardo ficou beiçudo com a reprovação, pelo PMDB, do nome Marcelo Queiroz para seu vice. Insatisfeito ou não Carlos teve que engolir, Henrique Alves, presidente do PMEDB, pôs dois nomes na mesa: Hermano Morais e Álvaro Dias ou o partido “sartaria” fora do barco. Carlos optou pelo deputado estadual Álvaro Dias.

Frase

“Essa é a prova de que Carlos Eduardo foi forçado a aceitar o PMDB porque, politicamente, isso é um desastre para ele; todo mundo vai vincular o PMDB ao partido oficial da Lava Jato.” Vereador Fernando Lucena(PT)

0

Violência

sem-emprego-da-petrobras

Frase

“Projeto de Beto Rosado é uma grande mentira”, Diz José Araújo, presidente do Sindicato dos Petroleiros do RN.

Violência

É fato: a bandidagem pôs o Estado brasileiro de joelhos. A violência e os grupos criminosos em todo território nacional ganharam notoriedade com sua demonstração de força, onde em alguns estados os governos tiveram que negociar com facções para poder dar uma aparente segurança aos seus cidadãos, São Paulo foi um destes.

Muitos criticam, falam como se o RN não fizesse parte do Brasil, Ora toda essa escala de violência não pode ser creditada totalmente ao atual governador Robinson Farias, que tem lá sua parcela, porém, este é um problema de omissão, conivência, irresponsabilidades de muitos anos atrás, de todos os governos anteriores, toda classe política tem participação ativa nesta crise de segurança.

Seria de uma injustiça sem tamanho apontar uma pessoa como responsável. O governador Robinson apenas deu o azar, dessa bomba de efeito retardado ter explodido no seu colo.

Fracasso.

Ontem(31), foi marcado por vários protestos em cidades brasileiras a favor e contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Pela primeira vez vi os números de participantes, emitidos pelos organizadores ser menor que o balizado pela Policia Militar: Em, Curitiba, os organizadores disseram que haviam 20 mil, enquanto a polícia Militar contou 25 mil – a favor do impeachment-. Em outro município foram aferidos 75 mil a polícia só viu 3 mil. Alguém aí foi reprovado em aritmética.

Fracasso.

Todos os movimentos a favor e contra o impeachment, esperavam um grande contingente de pessoas neste domingo passado, não aconteceu. Há uma certa desconfiança de ambas as partes: Os que defendem a presidente Dilma, foram surpreendidos com a delação do marqueteiro apontando caixa 2 na campanha 2014. Os que bateram panelas e gritavam “fora Dilma” está divido e, portanto, perdeu força. Acredita-se que depois da votação do relatório do senador Anastásia haverá definições mais concretas.

 

0

Riquinho

henrique-eduardo-alves

Deus, o mundo e os apóstolos de São Raimundo já se deram conta que o ex-deputado Henrique Alves(PMDB) se tornou réu. Entretanto, poucos sabem que na ação, a Procuradoria da República diz que o ex-parlamentar era conhecido como “Riquinho” entre seus pares. Danou-se!

Mórrréuuu

O Governo da Segurança cantado em verso e prosa, durante a campanha eleitoral pelo atual governador Robinson Farias, “mórrrrréu”. Em entrevista à rádio 98FM, Robinson jogou a tolha: “Não tenho mais o que fazer para melhorar a Segurança Pública do Rio Grande do Norte”. Estamos por nossa própria conta e sorte!

Blindados

Com essa bela notícia dada pelo governador Robinson para o povo potiguar, as oficinas que fazem blindagem de veículos tende a faturar mais alto. Nas terras dos comedores de cabeça de camarão, existem apenas 101 veículos cadastrados no Detran/RN, como blindados. Lavando-se em consideração a frota do estado de mais 1 milhão e 150 mil, existe uma boa margem para esse seguimento crescer.

Coco

O artista paulistano Eduardo Srur enviará, na abertura da Olimpíada, o que uma “antisouvenir” a todos os políticos que, prometeram de despoluir a baía de Guanabara antes dos jogos no Rio. O presente é um pequeno cocô feito de madeira e enfeitado com um minicoqueiro. E uma plaquinha com os dizeres: “Welcome Guanabara”. Se a moda pega.

Comtemplados
“Dilma, Lula, Temer, Eduardo Paes e Sérgio Cabral. Todo mundo vai receber”, afirma ele.

Frase

Impeachment: “Se a eleição fosse secreta, até o PT votaria pela cassação dela”. Senador Cristovam Buarque (PPS-DF).

0

Assaltos

impunidade

Bom entendedor

O deputado estadual Jacó Jácome(PSD) murchou frente ao desdém do governador Robinson Farias (PSD) e retirou sua candidatura a prefeito de Natal. Robinson havia afirmada semana passada, só participaria das eleições municipais apenas no segundo turno, numa clara falta de motivação e de confiança no candidato do seu partido. O deputado, em uma carta aberta, choramingou da falta de “respostas claras”. Mais claro do que as palavras do governador? Para bom entendedor meia palavra basta.

Réu

A Justiça Federal de Brasília, acatou a denúncia contra o ex-ministro do Turismo de Dilma e do Governo Interino do Michel Temer, Henrique Eduardo Alves por improbidade administrativa. Segundo o Ministério Público Federal há indícios de enriquecimento ilícito.

O processo teria sido parado logo após o ex-deputado apresentar, como defesa, um recurso indicando à prescrição da acusação e questionava a legalidade das provas. O juiz do caso afirmou que o tempo começou a contar a partir do último dia de mandato. O imbróglio se arrasta desde 2004. Segue o cortejo.

Cláusula

O senador Aécio Neves, presidente do PSDB, depois de encontro com Michel Temer, pretender criar no Congresso Nacional uma comissão especial para facilitar a discussão e tramitação de mais dois penduricalhos da falseada “reforma política: o fim das coligações proporcionais e o restabelecimento da cláusula de barreira.

O senador foi contra o fim das doações empresariais. Segundo analistas esta é uma manobra para abocanhar dos partidos pequenos o fundo partidário e o tempo de televisão.

Coligação

O PT de Mossoró, desistiu de sacrificar o professor Luiz Carlos, atual vice-prefeito e voltou atrás na intenção de lança-lo candidato a prefeito. Acabou por se coligar com PCdoB, que terá o publicitário Gutemberg Dias candidato a prefeito e como vice Rayane Andrade, integrante da Juventude do PT. A homologação será neste sábado(30). Desta maneira o PT pode garantir um ou mais vereador, na próxima legislatura , o próprio Luiz Carlos pode ser um deles.

Frase

“Os outros partidos não querem o prefeito, mas fazem parte da base e fazem o que o prefeito manda. Isso é o que? Isso é mensalão. É preciso acabar com a hipocrisia que isso só existia lá em cima”. Fernando Lucena(PT).

2

A Lava Jato perdeu o fôlego

lava-jato-janot

A Lava Jato parece perder fôlego e fica cada vez mais distante punição para todos os envolvidos na roubalheira da Petrobras. As prisões espetaculares com cobertura, ao vivo, pelas emissoras de televisão saíram de cena.

Apreensivo com medo de dar com os burros n’água, Rodrigo Janot –PGR-, devido as pressões políticas, na abertura do seminário “Grandes casos criminais: experiência italiana e perspectivas no Brasil”, na segunda (27), pediu o engajamento da sociedade para o fortalecimento da Operação.

Janot, começa a sentir a mão pesada dos políticos do PMDB e PSDB. Por duas vezes teve pedido para investigar o senador Aécio Neves(PSDB), negado pelo Ministro Gilmar Mendes, somente na terceira vez foi autorizado. O senador é acusado de receber aproximadamente $120 mil dólares por mês, de propinas, vindas de Furnas. Depois não conseguiu sucesso com a solicitação para prender os caciques do PMDB, o ex-presidente José Sarney, o Presidente do Senado Renan Calheiros, o senador Romero Jucá e deputado e ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

Para Janot não existe saída fácil, ou enfrenta o PMBD, PSDB e DEM ou enfrenta o fracasso da Lava Jato.

Frase

“Quem rouba é ladrão, não é político”  ex-deputado italiano e ex-magistrado do Ministério Público, Antonio di Pietro.

Vaias

O Comitê Olímpico Internacional (COI), convidou os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente afastada Dilma Rousseff para juntar-se ao Presidente interino Michel Temer, na abertura da Olímpiadas, todos recusaram. Vão deixar as vaias para Temer.

Fundos

O governador Robinson Faria, aposta todas sua fichas nos deputados, que irão autorizar ele pôr a mão no Fundo dos aposentados. Aguente isso.

 

0

Delações

delacao-ex-mulher

As delações premiadas na Operação Lava Jato estão tão banalizada e com pouca eficácia, que muitos políticos não perdem mais o sono por conta delas, principalmente os do PMDB e PSDB. O calcanhar de Aquiles dos “meninos”, são suas ex-mulheres, amantes, motoristas, irmãos…

Cretinice

Que Mossoró, a Capital do Oeste, é uma cidade libertária, isto é inconteste. Porém, ainda não conseguiu livrar-se da política rasteira, das picuinhas, dos pneus furados. Semana passada a ex-governadora Rosalba Ciarlini, foi vítima de um panfleto apócrifo, ato de extrema covardia, pois tem seu autor escudado pelo anonimato e, ainda põe o alvo em um patamar de mártir; o quê é de uma burrice cavalar, principalmente quando se quer ferir o “inimigo”. Canalhice pura.

Promiscuidade

Hermano que não apoiava Carlos, que não apoiava Mineiro, que apoiava Robinson, que não apoiava Henrique, que quer ser vice de Carlos com apoio de Robinson que não apoiava ninguém. Entenderam? Não?

Não dá para entender mesmo este cenário pintado pelos políticos da taba. Quem era adversário de sangue e fogo, vira “best friend”. Fulano que jurava fidelidade a Beltrano, trai o infeliz com Cicrano. A “moçada” apelida toda essa promiscuidade de “dinâmica” da política. Pois, sim.

Sem Fronteiras

Para os paneleiros e alunos que foram às ruas gritar “Fora Dilma”, o atual Ministro da Educação, o famoso Mendocinha(DEM), foi enfático: “O Ciência Sem Fronteiras é desnecessário, nem na Dinamarca ou Suécia são tão generosos”. Vamos bater panelas.

Livro

Ontem, recebi do amigo Edson Soares, jornalista, cineasta e escritor, o seu Temporada de Sangue. Livro que terá também uma edição na língua madre de Dom Quixote de La Mancha. Avante!

 

 

0

O voto: arma perigosa

900-1

 

Após, o rio de lama que desceu à ribanceira e as novas enxurradas que virão, ainda iremos continuar a sofrer a força das oligarquias Brasil a dentro, poucas mudanças ou quase nenhuma – se o povo assim o quiser-. Aqui, na aldeia potiguar não é diferente, o silêncio é mortal em relação aos políticos e suas lideranças estarem envolvidos em malfeitos ou com problemas com a justiça eleitoral ou criminal, ninguém fala nada. Blogs, jornais, tvs, redes sociais não digitam um caractere se quer, uma vez ou outra um desavisado tenta romper o lacre da fossa, logo é bombardeado por comentários poucos democráticos.

As oligarquias da taba, já são senhoras sexagenárias, tem a malícia e prática dos anos a seu favor, ela compila votos como quem apanha algodão, com a mão suave, deixou para trás o velho cabresto e o chicote, hoje é mais sútil: ela compra os meios de comunicação de porteira fechada, isto é, com tudo que há dentro, quando não trocam suas concessões por negócios inconfessáveis. Porém, a Lava-Jato, Ministério Público, Polícia Federal e Justiça Eleitoral vieram para desnudar esta velha e assanhada persona, expondo sua verdadeira face, aquela que víamos era um disfarce, uma máscara como a do Rei Balduíno IV, de Jerusalém.

As velhas oligarquias estão de joelhos, revelou-se seu macróbio corpo pelancudo, carcomido, decrépito e sujo de sangue das almas que morrem nos corredores dos hospitais e postos de saúde, das crianças que perecem por falta de leitos neonatal, da falta de segurança. A velha está frágil, é verdade, mas não está morta e, portanto, pode ressurgir vigorosa e gerar outra para ocupar seu lugar preservando sua linhagem. Entretanto, um simples ato pode desencadear sua extinção ou uma baixa significativa que a deixaria estéril: o voto! A velha senhora alimenta-se de voto, corte este suprimento e ela morrerá de inanição.

O voto, esta arma perigosa é mortal contra político corruptos e oligarquias putrefatas.

 

0

Chamaeleonidae

900

Não precisa fazer estudos paleontológicos, morfológicos ou biológicos para se perceber que políticos não pertencem à família do hominídeos, e sim à família Chamaeleonidae, tal é sua capacidade de adaptação ao ambiente, às oportunidades e tamanha habilidade de ludibriar.

No momento em que o país atravessa uma crise política/financeira e quase institucional, o presidente michel temer faz um “agrado” ao Judiciário e ao funcionalismo público lhes dando aumento salarial, numa clara cortina de fumaça para camuflar e tirar o foco do golpe em andamento. Lá por “riba”, – como diria meu amigo Delegado (porteiro e filósofo) -, o buraco é mais embaixo, aliás, o jogo é baixo mesmo. Pois, muito bem, nas terras potiguares, mais especificamente nas terras monxorós os nobres vereadores, sem muito esforço para provar que fazem parte da nobre casta, dos Chamaeleonidae, que não dão a mínima à opinião pública, – sim, político que se preza, que é da gema mesmo, desdenha seus eleitores confiando na memória fraca deles -, se deram aumento salarial, passando da “mixaria” de R$ 9.000,00 para R$ 12.000,00. Claro, foi votado em regime de urgência, para não dar trela ao povo.

Enquanto isso, na cidade de Água Branca, no Sertão paraibano, foi aprovado, pela Câmara de Vereadores um projeto que reduz o salário dos parlamentares para um salário mínimo à partir de janeiro de 2017.

A classe usa da máxima “quem não está contra mim está comigo”.Isto é, se você não diz nada a “moçada” pinta e borda.

0

Veredito final.

900

Segundo analistas especialistas no borogodó político do “País de Mossoró”, o cenário plantado, recado e bem adubado pela família Rosado, nos últimos anos se mostra forte e robusto, mesmo divido em três frações sempre mantiveram a dianteira em relação aos seus adversários, quando não, os sufocavam cortando seus suprimentos de oxigênio político eleitoral.

Os mais apaixonados juram de pés juntinhos, de joelhinhos em caroços de milho, que o “acontecido” na eleição passada foi um “acidente” de percurso e que o momento é de extrema facilidade, pois Rosalba lidera todas pesquisas para ocupar o Palácio da Resistência, sede do Governo Municipal de Mossoro. A possível junção dos outros dois grupos seria mais um facilitador à voltar da família Rosado ao poder municipal.

É bom lembrar que os três grupos tem problemas com a Justiça: bens bloqueados, entre outros. Rosalba continua sendo a principal protagonista da cena, tanto da política como da Justiça. A Rosa foi condenada pela segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJ/RN) (PP) por improbidade administrativa, quando da administração do Estado, por causa de irregularidades na construção do Arena das Dunas.

Fora todas as pendências jurídicas, é bom lembrar dois pontos importantes: a posição à família Rosado não está morta e quem vai dar o veredito final é eleitor, se não combinar com ele, não há já ganhou que dê jeito.

0

Santos “de casa” obram milagres.

eleitor-das-oligarquias

Santos “de casa” obram milagres.

Não deveria, mais ainda me surpreendo quando ponho os olhos sobre muitos conterrâneos que sucumbem ao caminho da complacência com os políticos da aldeia dos comedores de cabeça de camarão. O grande poeta Caetano Veloso diz “coragem grande é poder dizer sim” e, sem dúvidas tirar a venda dos olhos para olhar ao seu redor e ver a sujeira em seu quintal ou embaixo da soleira, não é para todos: só para os raros.

Aqui, usamos o velho truque da avestruz: enfiamos nossos quengos (como diz o homem dos tamanquitos: Caby da Costa Lima) nas dunas de areias de Genipabu e nas areias coloridas de Tibau(se é que ainda existem), acometidas de labirintite temporária pelo efeito da 51 ingerida pela casta mais baixa e outros, claro, pelo whisky 18 anos, e, anestesiados esticamos o dedo para os lados do Planalto Central do Brasil, como se lá fosse o princípio de todos os males que flagela a nação abençoada por Deus e bonita por natureza. Parece até que vivemos em uma dimensão e os políticos em outra.

Enquanto isso, as velhas oligarquias bolorentas potiguares se regozijam, aproveitando-se de nossa Síndrome de Estocolmo e, feitos zumbis, avalizamos seus malfeitos, sem questionamentos.

Poucos ou quase ninguém repercutem ou discutem nossos listados na Operação Lava-Jato ou em outras pendengas políticas/judiciais: Não para condená-los, julgá-los, mas para termos melhor ciência o porquê de tais acusações, ou até mesmo oportunizar a eles uma defesa, explicarem, esclarecerem a seus eleitores porque pesam tais suspeitas sobre eles. No entanto, eles fingem que não fizeram nada e nós fingimos que acreditamos. Muito deles apostam em nossa servidão, memória fraca e cumplicidade velada.

Temos as principais lideranças políticas do Estado do Rio Grande do Norte, encalacradas com a justiça: José Agripino, Henrique Alves, Garibaldi Alves, Henrique Eduardo Alves, Rogério Marinho, Rosalba Ciarlini, Sandra Rosado, Larissa Rosado…

Precisamos sair urgentemente desta zona de conforto perigosa, até para separamos o joio do trigo. Afinal, nem todos são culpados, nem todos são inocentes.