Fale Sem Inibições

Fale Sem Inibições

Nos dias 01 e 2 de setembro, no auditório do Corecon/RN, acontecerá o curso “Como Falar Em Público Sem Inibições”, ministrado pelo professor, em comunicação profissional da UFG – Fundação Getúlio Vargas, Adelmo Freire.

Vagas limitadas para apenas 15 participantes. Inscrições ao preço de R$ 180,00, pelo 3201-1005 e corecon-rn@corecon-rn.org.br. Segundo os organizadores, restam apenas 5 vagas.

Assassinaram a palavra

“Minha palavra cantada pode espantar, e a seus ouvidos parecer exótica”, diz Cae, viu intimidade? Intimidade nada, só para mostrar como a palavra não se limita a um conjunto de letras ordenadamente que diz algum sentido, ela é mais que isto, muitas vezes extrapola do que diz. Estudiosos da língua são unânimes e rubricam que a palavra é viva, tem alma, personalidade, alguns juram que tem dupla personalidade, segundo o forrozeiro Genival Lacerda, se assim não fosse, não seria ele o sucesso que é.

Mas, deixando a profundidade de lado, como não sou gramático, e mesmo atestando só fazer um “o” com uma quenga, ainda assim, concordo com a academia e, digo mais: sou testemunha da morte em vida, de uma palavra que outrora era fora muito usada no meio de comunicação e, hoje é ojerizada, se pronunciá-la próximo de um publicitário o sujeito fica todo “apatacado” com urticária e é capaz de choque anafilático ou quem sabe um ataque cardíaco fulminante.

Também a dita cuja, permeava as lojas do comércio varejistas, os vendedores a veneravam, principalmente no final do mês, quando adoravam enfiá-la nos bolsos. Mas, hoje em dia a coitada anda meia moribunda, agonizando em seu leito de morte, contam, esperar à extrema unção.

Realmente, tudo muda, o quê ontem era jovem, novo, hoje é antigo e não diz mais o quê quer dizer. Senão vejamos, desculpe o nome “feio”: comissão. Muitos ou quase todo mundo foge dela como o diabo foge da cruz, claro, desde que não seja sócio de um bando que surgem entre os mortais de 4 em 4 anos.

Há algum tempo, publicitários recebiam dos veículos de comunicação, sobre a verba aplicada em inserções percentuais de 15% a 20% de comissão – desculpe o palavrão -, atualmente se recebe BV, não, não é boca virgem não, é Bônus de Veiculação, ninguém quer ouvir falar em comissão.

A turma do colarinho branco não é brinquedo não, por onde passa o estrago está feito, como se uma besta fera fosse, uma peste, e é: essa gente mata pessoas, mata sonhos, mata alegrias e mata até palavra. Assassinaram a palavra comissão.

Deu no NY Times

“Lula ainda é o político mais popular do Brasil”

Desfaçatez

Dá pena da desfaçatez dos programas políticos do PSDB e DEM. O investigado Senador José Agripino falando de benefícios para “meu Estado Rio Grande do Norte”, o PSDB por sua vez usa dois negros em suas veiculações, como se, de fato, tivesse algum respeito pela causa negra. O núcleo negro do partido desmente essa tentativa passar à população que há uma preocupação com causa negra, é mentira, pois este núcleo é dirigido por uma loira, que dizer, uma capataz branca.

Carocatto2

Preciso urgentemente aumentar minha dose de memoriol, anotei em minha agenda a exposição do cartunista Túlio Ratto, para o dia, 25, portanto hoje. Na verdade a “Caricatto2” se deu ontem, na sede da OAB/RN, Rua Barão de Serra Branca, s/nº – Candelária).

Mas, se estenderá por todo dia de hoje (25), você ainda pode ir se deliciar com as caricaturas de empresários, políticos, jornalistas advogados e todos que passaram pela pena do Túlio, até à 21h.

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *