Tenho inveja de Mel

Uma coisa de me deixar de queixo caído e, faz elevar meu grau de inveja acima do Everest, é a tal da inteligência. Digo sem vergonha nenhuma, de cara lavada: tenho uma inveja danada de quem sabe usar o cérebro, por menor que seja seu portador ou portado.

Se é Mel (Labradora de Roberto/Jade Brito ), tenho inveja, – pense numa cadela inteligente-; um jumento: tenho inveja; uma lesma: me mordo todo de inveja e pasmem: tenho até de gente. Mas, não consigo andar de mãos dadas com a burrice, a mim, parece uma coisa menor, rasteira, sub, está sempre abaixo de qualquer outra que possa um dia ter a possibilidade de ser positiva, a burrice é feia, fede a enxofre, é caolha e traz consigo um bafo que empesta o ar, mau hálito das tragédias e flagelos da humanidade – alguns amigos, dizem que tenho medo da concorrência, pode ser -, e como tal produzem males devastadores, assim como vírus Ebola, Sarampo, Aids entre outras aberrações capazes de dizimar a raça humana.

Se para Sócrates  – não aquele jogador de futebol, também foi árduo defensor da democracia -, Deus é a inteligência que pode conhecer todas as coisas, logo a burrice é o Capiroto, Bode, o Anjo Caído em sua forma mais original, desconhecendo tudo.

O pior disto tudo, é termos a mais completa ciência que a inteligência é limitada e condicionada a ela própria, já a burrice é ilimitada e se alarga e destrói como um rio fora do seu leito. As provas irrefutáveis desta teoria se ver no dia-a-dia.

A burrice pode e se apresenta de várias formas, mais agressiva, branda ou mesmo lenta. Em sua faceta mais violenta, como sempre fazem os covardes e adoradores do Belzebu, se aproveitam do momento de confusão, de incertezas, de ideias, corrupção, malfeitos e travestida de “inteligência” a burrice nos oferece um filhote da ditadura, – com licença da palavra -, um deputado preconceituoso, machista, escravagista que vomita:“Sou preconceituoso, com muito orgulho” ou intervenção militar, como soluções. Numa clara tentativa de vendar, nos hipnotizar para que esqueçamos um passado não muito distante vivido por nosso país e a Alemanha que penou e penalizou o mundo, sob chibata de outro representante do mal cheiroso Lucifer.

Realmente a burrice é de extremada ousadia, mas o povo não faz pacto com o demônio, não vende sua alma e muito menos quer um retorno aos tempos de chumbo. Claro, mas não deixo de preocupar-me, principalmente, quando este tipo de movimentos são patrocinados por empresas.

Vade-retro Satanás. Democracia sim. Ditadura nunca mais!!!

O segundo é a Lei de Segurança Nacional (7.170/1983):

Art. 23 – Incitar:
I – à subversão da ordem política ou social;
II – à animosidade entre as Forças Armadas ou entre estas e as classes sociais ou as instituições civis;
III – à luta com violência entre as classes sociais;
IV – à prática de qualquer dos crimes previstos nesta Lei.
Pena: reclusão, de 1 a 4 anos.

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *