Há Políticos e políticos

Ex-vereador Professor Luís Carlos Noronha e o ex-vereador e ex-deputado estadual Gilson Moura

A generalização que muitos querem impor, para que o eleitor perca a confiança na política e na hora de votar o faça sem muita responsabilidade, na base do “todos são iguais”, “tanto faz votar em um como no outro”, o que não é verdade. Esse pensamento que todos calçam 40 só beneficia maus políticos.

Um simples exercício comparativo veremos a postura de dois políticos. Um professor de física, Luís Carlos Noronha, foi vereador por dois mandatos, em Natal, depois suplente de deputado estadual, com13 mil votos, com este patrimônio eleitoral recebeu vários convites de diversas lideranças para ocupar cargos comissionados, optou para voltar à sala de aula, na rede particular e na estadual a qual leciona como professor concursado.

O professor Luís Carlos que têm serviços prestados à Educação do Rio Grande do Norte, filiado ao Psol, se coloca como pré-candidato a deputado estadual com reais chances de ser eleito, para isso basta igualar o desempenho da eleição passada e um pouquinho mais. “Sem dúvidas, não podemos colocar todos os políticos, na mesma vala comum, existem pessoas compromissadas com a boa política, e eu faça parte deste grupo que acredita que só podemos melhorar o que está ruim com a política, votando em pessoas que realmente queiram mudar, por isso, pus meu nome a disposição do partido”.

Já o Gilson Moura, que também foi vereador por Natal e logo depois deputado, teve o mandato cassado por improbidade administrativa, porém, conseguiu permanecer recebendo salário da Assembleia Legislativa, ao garantir um cargo efetivo de Assessor Técnico Administrativo, pelo qual é mensalmente remunerado com o valor bruto de R$ 23.703,61, proveniente de salário e de outras vantagens obtidas, respondendo a processo não pode ser candidato, por ter a ficha suja.

Por isso, ao nivelar todos políticos incorremos em um grande erro: Há Políticos e políticos. “Não aceito cargos públicos, só se for eleito”, afirmou o prof. Luís Carlos.

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *